Ok

En poursuivant votre navigation sur ce site, vous acceptez l'utilisation de cookies. Ces derniers assurent le bon fonctionnement de nos services. En savoir plus.

  • Saudades de Portugal em Festa

                    Caros amigos,

     

    Tivemos o prazer de encontrar um dos vossos componentes no dia 3 de Dezembro de 2006

    na Casa de Portugal de Plaisir aonde marcamos presença com o nosso rancho.

     

    Ficamos muito honrados ao poder vérificar o video que tiveram a amablidade de meter

    no vosso Site e que ainda hoje podemos ver uma parte no site YouTube.

     

    Queriamos informar que temos duas actividades em breve e seria um prazer recebe-los :

          

    -        25 de Março de 2007 à partir das 14 H 30   

    o    Festival Folclorico 

                     Gymnase Tabanelli 11 Rue Musselburgh

        Champigny-sur-Marne 

                     (ao lado do Hospital Paul d’Egine - Parque Place Lénine atràs da Câmara)

     

    -        14 de Abril de 2007 à partir das 20 H 30

    o    Noite dançante com Nova Imagem

        & Espectaculo com o agrupamento musical

        de renome :

                    Diapasão 

             Salle Georges Brassens - Villiers-sur-Marne 

       (ao lado do mercado e da Câmara – Parque do mercado)

     

    Obrigado pelo convite e vamos nos tentar organizar para alguem estar presente no 25 de Março para filmar esse magnifico espectaculo que e o folclore Portugues !

    Mais uma vez obrigado Isabel Marques !

     

     



    Para quem não conhece aqui fica mais uma vez o video dos representantes do Ribatejo
  • Odete Ferreira Domingues - Pintora expõe em França

     

    medium_odete_domingues.2.JPG

     Exposição de 22/02/07 ao 04/03/2007

     

    Foi com bastante satisfação que descobri esta semana no ( Lusojornal ) este artigo sobre esta pintora que e natural do Reguengo - Almagreira - No concelho de Pombal - Para não dizer que e minha vizinha em Portugal.

    Artigo do Lusojornal

    A pintora portuguesa Odete Domingues Ferreira expoe desde quinta feira da semana passada no 6° salao das Artes plasticas e no qual se podem ver obras de pintura,gravura,desenho e fotografia com trabalhos de 60 artistas.

    Odete Domingues apresentou a sua obra ( evasion )

     

    Pagina 9 deste jornal : clique aqui 

     

    Foto : Amandio de Oliveira

    www.1portugal.com 

  • Toca a todos - Jose Malhoa

  • Jesus pai de Judas - filho de Maria Madalena

    Depois de fazer história no cinema, James Cameron quer chamar a atenção do Mundo através do documentário ‘O Túmulo de Jesus’, que vai certamente suscitar muita polémica: o realizador, de 52 anos, garante que descobriu o túmulo de Jesus e da sua família e diz poder provar que Cristo foi casado e teve um filho de Maria Madalena.

    medium_aaa.jpg

    A entrada do túmulo em Jerusalém onde, há 27 anos, terão sido descobertos vários caixões que, garante o cineasta James Cameron, continham os ossos de Jesus e da sua família. A alegada descoberta será apresentada no documentário

     

    Correio da manhã 

     

  • TRIBUNAL DA ALDEIA...

                    Num tribunal de uma aldeia, o advogado de acusação chamou a sua primeira testemunha; uma velhinha de idade avançada e avó.
    Aproximou-se da testemunha e perguntou:

    "Srª Ermelinda, a senhora conhece-me?"
    resposta:

    -Claro que te conheço. Conheço-te desde pequenino e, francamente, desiludiste-me. Mentes descaradamente, enganas a tua mulher, manipulas as pessoas e falas mal delas pelas costas. Julgas que és uma grande  personalidade quando nem sequer tens inteligência suficiente nem para ser varredor. Claro que te conheço.

    O advogado ficou branco, sem saber que fazer. Depois de pensar um pouco; apontou para o outro extremo da sala e perguntou: 

    -Srª Ermelinda conhece o defensor oficioso?
    Responde a velhinha: -Claro que sim. Também o conheço desde a infância. É frouxo, tem problemas com a bebida, não consegue ter uma relação normal com ninguém e na  qualidade de advogado bem, aí......é um dos piores que já vi. Não esqueço também de mencionar que engana a mulher com três mulheresdiferentes, uma das quais, curiosamente, é a tua mulher. Sim, conheço-o. Claro que sim.

    O defensor ficou em estado de choque. O juíz, então, pediu a ambos os advogados que se aproximassem do estrado e com uma voz muito ténue diz-lhes:
    -Se a algum dos dois ocorrer perguntar à p.ta da velha se me conhece, juro-vos que vão todos presos. 

     
     De : VOZdoPOVO [mailto:portugalclub@portugalclub.org]
  • RE: Os sem memória

     

    -----Message d'origine-----
    De : VOZdoPOVO [mailto:portugalclub@portugalclub.org]
    Envoyé : mardi 27 février 2007 00:26
    À : Undisclosed-Recipient:;
    Objet : Os sem memória

     

    Está no Hospital de Portalegre há um mês.

    A única coisa que o Hospital sabe é que o homem, que mal fala português, se chama Sing e que tinha um patrão chamado Derlei. Pelo menos é o que ele diz. O hospital não sabe mais nada. O homem também não. Amnésico. Terá caído numa obra em Lisboa e seguido para o São José, com um traumatismo craniano. Os serviços do hospital descobriram um papel no seu bolso, com a indicação de Portalegre. Como já não precisava de cuidados médicos em Lisboa, foi transferido para a unidade no Alentejo. A sua identidade continua por determinar. A assistência social já contactou instituições, embaixadas e segurança social. Nada. Nem sequer se sabe como foi parar ao hospital de São José. A direcção de Portalegre, receia que Sing venha a receber alta e não possua no exterior ninguém que o auxilie. A alternativa é uma instituição de apoio a gente sem abrigo.  A história de Sing condensa a triste forma como tratamos os imigrantes. Condenados à ilegalidade, explorados até servirem, abandonados à porta de um hospital quando caducam. Reduzidos a isso mesmo. Mão-de-obra barata e descartável. Os que se podiam preocupar estão longe. Não há quem dê pela sua falta ou se queixe do seu desaparecimento. Lá fora, ninguém os espera. São pessoas sem identidade, sem laços, sem rosto, sem fala ou voz. São sem papéis, são sem abrigo. Sem memória. Joana Amaral Dias

  • Jose Malhoa em Conflans

    Não sou nenhum especialista em play-back !
    Que a musica e coros com vozes femininas seja em play-back e capaz de ser normal .
    Mas se verificar bem nas imagens a musica começou antes do Zé Malhoa entrar em palco ehheho
    boa noite veio no meio da musica !!!! deve ser amadorismo da minha parte !
    Ate que o homen quando trabalha na região de Paris e um ou dois concertos por dia ou noite !
    A voz nao da para tudo !!!! Afinal nos pagamos o bilhete de entrada a 17 € e para ver o ze no palco porque ele diz conversas que nos agradam bastante ehheeh - Note-se o viva o Benfica e o Porto e uns agradecimentos aos emigrantes o que cada de um de entre nos recebe como se fosse para ele !!! e  assim a saudade !!!
    Em todo o ( causo ) Viva o Ze Malhoa foi um bonito espectaculo onde toda a gente estava bastante feliz ..
     
     

    Jose Malhoa
    envoyé par pombal

  • Cova aberta e viuva de preto -so falta o morto!

    A família de Albano Pedrosa, de 75 anos, de Vieira de Leiria, Marinha Grande, preparava-se ontem para lhe fazer o funeral quando abriu a urna na capela mortuária e viu o cadáver de outro idoso. Sem saber o que pensar, o filho de Albano voou para o Hospital de Santo André, em Leiria, onde veio a descobri-lo numa enfermaria – vivo e a sorrir.

    Correio da manhã 

  • Santa Cruz - Um grupo que sobe

    Ontem fui ao baile a conflans ( 78 ) e fiquei satisfeito com o nível musical do grupo ( SANTA CRUZ  ) que nasceu das cinzas de um  grupo que existiu durante vários anos na comunidade portuguesa na região de Paris que se chamava ( Triangle ) Acho que o nivel e bastante bom comparado ao que já tive oportunidade de ouvir em outros espectaculos. - Fizeram a primeira parte do espectaculo de José Malhoa . - Quero agradecer a simpatia dos membros deste grupo SANTA CRUZ e desejar-lhe uma longa vida cheia de sucessos......... .- Aqui fica o primeiro vídeo dos vários vídeos que vão seguir - Espero que gostem !!!!

    Outra coisa vi uma bandeirola com um site Internet que tive a curiosidade de visitar e fiquei bastante satisfeito com o que encontrei e o site da associação dos Portugueses de Conflans - Aqui fica o link - Amigos de Portugal  

     

    Santa Cruz 1
    envoyé par pombal
     
    Aqui fica o contacto dos membros do grupo santa cruz - fernandes.jacques@free.fr
     
  • ttt

    Novo Direção Internet www.1portugal.com

  • Historia de Portugal de : 1910 a 1926

     

    PORTUGAL antes de SALAZAR

    O regime republicano, de 1910 a  1926

    1910

    Outubro, 5 - Instauração do regime republicano. O Exército, sobretudo o seu corpo de oficiais, não participou, de facto, nem a favor nem contra a insurreição. É organizado um governo provisório presidido por Teófilo Braga.

    Outubro, 6 - Proclamação da República no Porto.

    Outubro, 8 - São promulgados os decretos que expulsam os Jesuítas e encerram os conventos, tanto os masculinos como os femininos.

    Outubro, 9 - Os presos pertencentes a associações secretas são libertados. O objectivo é libertar os membros da Carbonária, a organização bombista republicana.

    Outubro, 10 - As perseguições religiosas, durante a primeira semana de governo republicano, fazem com que nas prisões de Lisboa estejam encarcerados 128 padres e 233 freiras, tendo sido assassinados dois padres lazaristas.

    - As perseguições políticas em Lisboa produzem a destruição dos jornais Liberal, do partido progressista, e Portugal, católico.

    - José Relvas é nomeado ministro da fazenda, devido à recusa de Basílio Teles em tomar posse.

    Outubro, 12 - É criada a Guarda Nacional Republicana, novo nome dada às Guardas Municipais de Lisboa e Porto. A criação da Guarda tinha como objectivo retirar ao exército, encarado como a Nação em Armas, a função de defesa do regime, e de manutenção da ordem pública. Esta divisão de tarefas nunca existiu na prática.

    Outubro, 14 - A família real chega a Inglaterra, após passagem por Gibraltar.

    - O jornal a República Portugueza começa a circular, defendendo a instauração de uma ditadura revolucionária,  contra os provisórios - membros do grupo que domina o governo provisório - e os adesivos - os convertidos ao regime considerados oportunistas. Os seus criadores são antigos cabecilhas da greve académica republicana de 1907, e entre eles conta-se Alfredo Pimenta, Francisco Pulido Valente, Manuel Bravo e Tomás da Fonseca.

    Outubro, 17 - Criação de uma comissão para estudar a reorganização do exército. Irá tentar-se criar um exército miliciano, mas de facto o núcleo profissional irá manter-se inalterável. A Policia Civil de Lisboa adopta o nome de Policia Cívica.

    - Na Universidade de Coimbra a Sala dos Capelos é destruída, e os retratos dos reis D. Carlos e D. Manuel baleados, no decurso de uma manifestação contra os professores monárquicos e a universidade fradesca.

    Outubro, 18 - O ensino da doutrina cristã é abolido, assim como o juramento religioso em actos oficiais. Os títulos nobiliárquicos são abolidos.

    Outubro, 19 - Manuel de Arriaga é nomeado reitor da Universidade de Coimbra..

    Outubro, 20 - O Núncio Apostólico abandona Lisboa.

    Outubro, 21 - O bispo de Beja é suspenso das suas actividades apostólicas, devido ao abandono da sede episcopal, o que tinha acontecido por ter sido ameaçado de morte. Será destituído em 18 de Abril de 1911.

    Outubro, 22 - O Brasil e a Argentina são os primeiros países a reconhecer  oficialmente a República Portuguesa. O ensino da doutrina cristã é proibida no ensino primário.

    Outubro, 23 - O foro académico é abolido, assim como a obrigatoriedade do uso de capa e batina.

    Outubro, 26 - Os dias santificados são abolidos, com a excepção do Domingo, passando a ser considerados dias de trabalho.

    Outubro, 27 - Aparecimento do Correio da Manhã, organizado por jornalistas franquistas e que se assumem «representantes das classes conservadoras».

    Novembro, 3 - É promulgada a lei do divórcio.

    Novembro, 10 - A Grã-Bretanha reconhece de facto a República portuguesa, quando desembarca em Lisboa o novo embaixador.

    Novembro, 11 - Continuando as perseguições por motivos religiosos, Afonso Costa propõe a divulgação dos nomes e das biografias dos jesuítas que viviam em Portugal.

    Novembro, 12 - Surge o jornal O Intransigente, o órgão dos verdadeiros carbonários, dirigido por Machado Santos.

    Novembro, 15 - Greve dos trabalhadores da Carris, que deu início a uma vaga grevista.

    Novembro, 22 - Brito Camacho é nomeado ministro do Fomento, nova denominação para o ministério das Obras Públicas, substituindo António Luís Gomes.

    Dezembro, 1 - A Bandeira Nacional republicana é inaugurada.

    Dezembro, 6 - O direito à greve e ao lock-out é severamente restringido, por um decreto que ficará conhecido pelo decreto burla.

    Dezembro, 25 - É instituído o casamento civil, e promulgada uma «Lei da Família».

    Dezembro, 31 - As associações religiosas são reguladas, proibindo-se o exercício do ensino e a utilização pública de hábitos talares aos seus membros.

    1911

    Janeiro, 6 - António José de Almeida apresenta um projecto de regulamentação do horário de trabalho, que não é aprovado pelo conselho de ministros, ameaçando demitir-se. O projecto visa dar resposta à principal revindicação dos movimentos grevistas. 

    Janeiro, 7 - Greve geral dos ferroviários, que termina o movimento grevista iniciado em 15 de Novembro de 1910. A resposta da GNR aos piquetes e manifestações sindicais é normalmente violenta.

    Janeiro, 8 - Continuação das perseguições políticas com assalto às redacções dos jornais monárquicos de Lisboa, Correio da Manhã, O Liberal e Diário Ilustrado.

    Janeiro, 10 - Regulamentação do descanso semanal obrigatório ao Domingo.

    Janeiro, 11 - António José de Almeida aparece na Assembleia Geral dos Caixeiros, no Ateneu, e informa que se tenciona demitir devido à oposição de Afonso Costa e Brito Camacho ao seu projecto. Organiza-se uma manifestação que, dirigindo-se para o Terreiro do Paço, exige a sua permanência no governo. Teófilo Braga, o presidente do governo provisório, aceita, «em face da atitude do povo».

    Janeiro, 15 - Começa a ser publicado o jornal República, dirigido por António José de Almeida.

    - A Carbonária manifesta-se em Lisboa contra o movimento grevista, fazendo desfilar os chamados batalhões de voluntários da República.

    Janeiro, 21 - O culto católico é proibido na capela da Universidade de Coimbra.

    Fevereiro, 1 - Continuação da repressão política, com a destruição do Centro Académico de Democracia Cristã.

    Fevereiro, 15 - É criada uma comissão para estudo da reforma da ortografia.

    - João Chagas demite-se da junta consultiva do partido republicano, devido à nomeação de José Relvas e Brito Camacho para o Governo provisório.

    Fevereiro, 17 - Continuam as perseguições políticas, com ameaças a Sampaio Bruno, que o levou a susper a publicação do Diário da Tarde, jornal que tinha fundado no Porto, e começado a sua publicação em 2 de Janeiro. Sampaio Bruno partiu para o exílio em Paris, depois de ter sido ameaçado pelo novo governador civil republicano do Porto.

    Fevereiro, 18 - É instituído o Registo Civil obrigatório, com encerramento dos registos paroquiais.

    Fevereiro, 23 - Numa pastoral colectiva, divulgado sem pedido prévio de autorização ao governo, os bispos portugueses tomam posição contra as medidas de laicização tomadas pelo governo até ao momento.

    - Continuam as perseguições políticas, com confrontos, no Porto, entre republicanos e católicos, membros do Centro Católico e da Associação Católica.

    Março, 2 - Lei do recrutamento. Instaura teoricamente, mas não de facto, o recrutamento universal. O sistema oficial das remissões - pagamento de um substituto - acaba, mas é substituído pelo sistema  -  corrupto - de pagamento para se ficar «não apto».

    Março, 3 a 7 - Conflito entre Afonso Costa, que enquanto ministro da Justiça estava encarregado de supervisionar os Cultos, e os bispos devido à pastoral de 23 de Fevereiro, que o ministro queria ter censurado previamente, afirmando que negava o beneplácito do governo, o antigo beneplácito régio, vindo do século XIV.

    Março, 14 - Promulgação da Lei eleitoral. O sufrágio universal, uma das principais bandeiras do partido republicano, não é estabelecido.

    Março, 22 - São criadas as Universidades de Lisboa e do Porto, e criada uma Faculdade de Letras na Universidade de Coimbra, em substituição da Faculdade de Teologia, extinta.

    Março, 29 - Reorganização do ensino primário, criando-se o ensino oficial infantil, novo nível de ensino que de facto não é posto em prática.

    Abril, 20 - É promulgada a Lei de Separação entre o Estado e a Igreja. Os bens da igreja são nacionalizados e o culto supervisionado. O Vaticano cortou relações com Portugal devido a esta lei. 

    3 de Maio - Publicação do Decreto de organização da Guarda Nacional Republicana. Rapidamente começará a intervir na vida política.

    22 de Maio - Institucionalização do Escudo como moeda oficial, em substituição do real. Não se trata de uma reforma monetária mas sim de uma alteração do processo de conta.

    25 de Maio - Decreto de reorganização do Exército. Previa a existência de 8 divisões e 1 brigada de cavalaria, com um quadro permanente de 1.773 oficiais e 9.926 praças. O serviço militar devia ser geral e obrigatório. Os mancebos passavam por uma escola de recruta, de 15 a 30 semanas, sendo chamados quase todos os anos (7 em 10) para as escolas de repetição, que duravam 2 semanas. Criavam-se também escolas de quadros, que formariam os futuros oficiais milicianos. 

    28 de Maio - Realizam-se as eleições para a Assembleia Nacional Constituinte.

    19 de Junho - Abertura da Assembleia Constituinte, composta de 229 membros. Sanciona a implantação da República e a abolição da Monarquia. Estabelece as cores e o desenho da Bandeira Nacional e adopta a Portuguesa, de Alfredo Keil, como Hino Nacional

    - Os Estados Unidos da América reconhecem a República Portuguesa, sendo a primeira potência com algum significado a fazê-lo.

    21 de Agosto - Promulgação da Constituição da República.

    24 de Agosto - Eleição do Presidente da República. O escolhido, pelo colégio eleitoral formado pelas duas câmaras da Assembleia, é Manuel de Arriaga, que exercerá o cargo até Janeiro de 1915. 

    - A França reconhece a República portuguesa, sendo o primeiro país europeu a fazê-lo

    25 de Agosto - A Constituição entra em vigor.

    3 de Setembro - Nomeação do primeiro Governo Constitucional da República, dirigido por João Chagas, mas com a oposição do grupo liderado por Afonso Costa. 

    11 de Setembro - Reconhecimento conjunto da República portuguesa pelas grandes potências europeias, todas monárquicas: Grã-Bretanha, Espanha, Alemanha, Itália e Áustria-Hungria.

    12 de Setembro - A reforma ortográfica é instituída. 

    21 de Setembro - O Partido Republicano Português cinde-se em quatro tendências: democráticos ou radicais, dirigidos por Afonso Costa, unionistas, dirigidos por Brito Camacho, evolucionistas, de António José de Almeida e independentes. 

    5 de Outubro - Primeira incursão monárquica, comandada por Paiva Couceiro, em Trás-os-Montes. O ministro da guerra, general Pimenta de Castro, será exonerado dia 8 de Outubro seguinte, devido a divergências com João Chagas, presidente do Conselho de Ministros. Será substituído pelo major Alberto da Silveira.

    20 de Outubro - António José de Almeida, ministro do interior, é vaiado no Rossio, abandonando o Partido Republicano.

    27 a 30 de Outubro - Congresso do Partido Republicano Português. A direcção eleita é da confiança de Afonso Costa. A partir do Congresso passará a ser conhecido por Partido Democrático.

    4 de Novembro - O governo de Angola pede auxílio a Lisboa para pôr cobro à rebelião instalada no planalto de Benguela, assim como no Bié, Lunda e Norte do Cassai.

    13 de Novembro - Nomeação do segundo governo da República, dirigido por Augusto de Vasconcelos. Sobreviverá até 16 de Junho de 1912.

    Dezembro - Realiza-se o recenseamento da população portuguesa. A população ascendia a 5.950.056 habitantes. 80% trabalhava na agricultura e 75% era analfabeta. 

    1912

    14 de Janeiro - A perseguição anti-clerical continua, com a proibição dos bispos de Coimbra e Viseu residirem no distritos das suas dioceses.

    28 a 30 de Janeiro - Greve geral em Lisboa de apoio aos trabalhadores do Alentejo. A resposta do governo levou ao encerramento de todas as sedes sindicais, declaração do estado de sítio e suspensão de todas as garantias constitucionais no distrito de Lisboa.

    31 de Janeiro - Forças militares e da carbonária tomam de assalto a União dos Sindicatos. Os presos são enviados para bordo da fragata D. Fernando e do transporte Pêro de Alenquer.

    7 de Fevereiro - O governo britânico desmente os boatos, postos a circular pelo embaixador português Teixeira Gomes, que davam como certo um acordo entre o Reino Unido e a Alemanha para divisão das colónias portuguesas de África.

    24 de Fevereiro - António José de Almeida funda o Partido Evolucionista.

    26 de Fevereiro - Brito Camacho funda o partido unionista - Partido União Republicana.

    5 de Março - António José de Almeida apresenta um projecto de amnistia, que englobaria os monárquicos presos por atentarem contra o regime republicano. A proposta serviu de apresentação do partido evolucionista, e foi recusada.

    15 de Abril - O Presidente do Ministério e ministro dos negócios estrangeiros, Augusto de Vasconcelos, garantiu na Câmara dos Deputados não existir nenhum tratado entre a Inglaterra e a Alemanha «de natureza a ameaçar a independência, a integridade e os interesses de Portugal ou de uma parte qualquer dos seus domínios.»

    27 de Abril - O grupo de Afonso Costa domina o Congresso do Partido Democrático, realizado em Braga.

    Maio - O Centro Académico de Democracia Cristã é reactivado, com uma direcção formada por Gonçalves Cerejeira, Oliveira Salazar e Pacheco de Amorim.

    Maio / Junho - Greve da Carris que dura 26 dias.

    16 de Junho - Tomada de posse do 3.º governo constitucional da República, dirigido por Duarte Leite, e constituído por tês membros do partido democrático, 2 evolucionistas e um independente.

    6 e 7 de Julho - As forças monárquicas de Paiva Couceiro entram, pela segunda vez, em Portugal tentando tomar a praça de Valença, o que não conseguem. Entrarão no dia seguinte em Trás-os-Montes tentando capturar Chaves. 

    8 de Julho - Combate de Chaves. Os monárquicos são completamente desbaratados, deixando alguns mortos e feridos no campo.

    10 de Julho - Os projectos de construção dos caminhos-de-ferro de Benguela, em Angola, e da Zambézia, em Moçambique, são aprovados.

    8 de Agosto - O governador Norton de Matos funda a cidade de Nova Lisboa, actual Huambo, em Angola.

    Agosto - Realiza-se em Évora o 1.º Congresso dos Trabalhadores Rurais.

    10 de Novembro - Afonso Costa, discursando em Santarém, afirma que «neste momento, em que vai talvez dar-se uma conflagração europeia ... nós não sabemos ainda qual terá de ser o nosso papel, porque não está definida verdadeiramente a natureza, a extensão, os efeitos da nossa aliança com a Inglaterra.»

    18 de Dezembro - Um relatório secreto do Estado-Maior da Marinha britânica, conclui que Portugal não tinha para a Grã-Bretanha grande valor estratégico, desde que os seus  territórios atlânticos não caíssem nas mãos de potências hostis.

Para quem não tem casa em Portugal na região de Pombal aqui fica um lugar de sonho para passar uns dias de ferias aqui fica uma boa ideia entre serra e ribeira entre Ansião Soure e Pombal a dois passos de Coimbra .